domingo, agosto 20, 2006

O Prazer do derrotado


Foto de: Gabriele Rigon

Gosto de me sentir serpente, e em ti,
Enrolo-me para apertar-te lentamente,
Renovo as forças da batalha que perdi,
E pouco a pouco cresço simplesmente,

Colocas sempre o meu mundo às avessas,
Com as tuas diabruras, e com esse fogo,
Que nunca acaba, com o qual me confessas,
Os prazeres infindáveis do teu jogo.

E nos montes que cercaram o vencido,
De novo a batalha, e de novo saciado
Saí da batalha derrotado, reduzido,
Mas tudo bem amor, sou teu bem-amado,

Levarei como vestígios, os teus aromas,
Os prazeres e o terno amarrotado,
A serenidade do desejo, e os enigmas.
De ter morrido, na batalha do derrotado.

28 comentários:

Paula Raposo disse...

Gostei!! Beijos.

Morgaine disse...

um poeta tem sempre muito para dizer sobre relações humanas. É assim que te leio: uma descrição concisa da realidade e não uma forma de evasão para o irreal. E quem lê terá a sua perspectiva sobre as coisas, com a ajuda da imagem claro. Eu tenho a minha. Porque também é um dos meus lemas: "diz-me como escreves eu dir-te-ei o que penso de ti". Mas derrotado tu? Nem pensar.
Gostei deste.

Mina disse...

Num poema muito se diz e nada se mostra...
E sim... tudo será melhor ;)
Obrigado!

Jofre Alves disse...

Volto com agrado a este blogue, sempre interessante. Parabéns

frog disse...

Caro Marco, um lindo poema com uma belissima expressão poética... Gostei!

Abraço

Eli disse...

... e inspirado!

:)

.*.Magia.*. disse...

Olá...
Poesia intensa de sensualidade semeada...Doce batalha, onde os vencedores afinal são dois ;)

Beijos Mágicos

BIGMAC disse...

Ó Magalhães parece-me que estás confuso com a vida, e quando escreves esses textos não pensas na tua mulher, referes-te a ela unicamente para teres uma desculpa para imaginar, e para assim a consolar do desejo perdido, que tu podes não saber mas ela sabe...

BIGMAC disse...

E mais, procura mais o sentido e menos a rima, muitas vezes a rima tira o puro sentido da escrita. Escreverás melhor quando o treinares e quando te libertares da censura da observação dela, foi a primeira impressão que tive quando aqui entrei.

Nunca sei se tenho razão, mas também não a quero ter, gosto de a discutir

Um abraço, bom blog

broken.heart disse...

Bom dia Marquito,
Mais uma vez!!!
Não quero repetir-me nos comentários que te deixo, pois vão sempre recaír na beleza das tuas palavras, por isso, hoje, apenas te digo: Se chamas a isso derrota, quero sentir-me derrotada.
Beijocas

Marco Magalhães disse...

Para o Bigmac : Meu caro amigo, isto é um blog de poesia (tento em todo o caso), não um diário pessoal. Aliás se tiver atenção ao título do blog compreenderá decerto ao que me refiro.

Marco Magalhães disse...

Para o Bigmac : Essa é uma outra questão: Escrever com ou sem Rima.
Bem, é antes de mais uma questão de gosto. Eu gosto da dificuldade que a rima impõe.

DarkCapricorn disse...

share the snake with us... follow the snake for us... já dizia Magdalene - Moonspell.

Francieli Rebelatto disse...

Huhauahau, mas que palavras, invejo-te pois äs vezes por medo,nào consigo expressar de tal forma nossa relações naturais...

Muito legal teu blog..parabéns..beijos

sensualidade disse...

Olá meu amigo
é sempre um prazer entrar aqui.
tanta sensualidade.
:)))))))))
beijooooooo

incondicional disse...

Ójala todas las derrotas fueran así, el mundo iría mejor.

Abrazos.

Serpente Emplumada disse...

Um prazer conheçer a tua poesia []

Dark-me disse...

Morrer feliz!! :)
Dark kiss

zezinhomota disse...

Sabe muito bem ler a sua poesia, os seus ideais; escreve muito bem e também a sensualidade dos mesmo e das suas imagens escolhidas. Parabéns.

Fique bem neste AGOSTO QUENTINHO.

Um abraço deste amigo do Norte.

ZezinhoMota

Joaquim Amândio Santos disse...

quietude.
eis a panaceia que honra o preciso momento que antecede a refrega vulcânica do tempo guerreiro!

Louco de Lisboa disse...

Lindo, e um óptimo jogo de palavras que criou um som que com prazer produzi!!

Um enorme abraço!!
Até outro instante...

Ana Luar disse...

Jamais uma pessoa como tu morreria como um derrotado... pois vences com as palavras escritas.

Beijo do tamanho do mundo Marco... adoro este teu blog.

Woman disse...

Belíssimo!

Um beijo

Luna disse...

Talvez morrer em um instante de transe, mas jamais derrotado
beijinhos

Maresi@ disse...

Gostei especialmente deste poema Marco...belo jogo de palavras e optima escolha de foto..
Merece ser linkado eheheh

Beijo doce__________maresi@

-Sedna- disse...

Tus poemas son siempre aromas de amor... siempre hermosos...

Besos para ti.

Sandra disse...

Passei para deixar um beijinho...

Luy disse...

Há muito que frequento este blog
Mas hoje não pode de deixar uma
Palavra, Excelente e adoro tudo
que leio, Parabens
Beijo