sábado, junho 03, 2006

Nasci...

O dia Nasce e eu também, até corei,
A luz dividia o dia quando acordei,
De olhos esbugalhados levantei,
E sobre a falsa chuva me prostrei.

E pensei...

Trinta e oito vezes espreitei,
Girando em torno do Astro Rei,
Na dança dos dias encontrei,
A Terra e Mar que beijei.

Meio caminho esquecido,
Meio caminho por encontrar,
Meio caminho vivido,
outro meio por amar.

É todo um passado exilado,
É todo um futuro enevoado,
É a marca de um passo dado,
E outro passo destoado.

Pela estrada da vida vou continuar,
Até Deus Todo Poderoso consentir,
Que me dê força para não desanimar,
E toda a coragem para me divertir.



Foto de:
Qoucher's

4 comentários:

Paulo disse...

Belo poema amigo Marcos! Escrevi algo parecido... Disse que: na meia-idade a consciência media o tempo...

Quanto ao meu blog, vai o link:


http://www.retratosdaalma1.blogspot.com/

sensia disse...

Trinta e Oito aninhos, heim, Marquinho!!!!
Parabéns e desejo-te pelo menos outros tantos!!!
Beijinhos!

Joaquim Amândio Santos disse...

Que jamis se deixe de cumprir a bem lusa tradição de cultivar o interesse pelo doce versejar das rimas!

Doces Momentos disse...

Passei por aqui, li e gostei.
Beijito doce