terça-feira, junho 27, 2006

Mulher

Ah... Coisa ruim, e tão gostosa,
Minha desgraça tão preciosa,
Loucura total, vil prosa,
Ilusão constante e carinhosa.

A dor que me fazes sentir,
O desejo proíbido do teu corpo,
És a tentação que finge vir,
És a promessa que não encontro.

Luto com ondas de rimas,
Abismo temperado de sal dor,
O Atlântico, mar de lágrimas,
Não condimenta o nosso amor.

Provocado pela ânsia.
Mergulho de atrevimento,
Mas afogado pela distância,
Que tanto provoca o tormento.

Como desejo atravessar,
Para nadar em teu corpo,
Mergulhar-te para amar
Animado por teu sopro.

Ah... Esse corpo em movimento,
Como Sonho em nadar assim,
Vem mulher, e por esse momento,
Traz o desejo e o frenesim.



Foto de:
gavin o'neill

3 comentários:

AF disse...

parabéns pelo blog.

InSaNnA disse...

oIE Marco!Que belas poesias!Sou uma aprendiz nessa arte tão bela de expressar as dores e alegrias de nossas sensiveis almas.Gostaria,que visitasse o site.
www.poemas-de-amor.net, e se possivel,nos presenear.com a beleza dos seus poemas..Antes,de vc pensar em um não...rs..pensee um sim,para conhecer o site..Visite a minha pagina..//insanidadepoetica.uniblog.com.br

Ana Luar disse...

Este já eu conheço do outro lado... e gostei deste hino a nós mulheres.